Sabemos que a atividade logística tem diversos riscos a um transportador de cargas perigosas. Por isso, entre os tipos de transportes, existem ocasiões em que os materiais carregados são enquadrados como produtos perigosos. Uma perda financeira, por exemplo, pode ser recuperada com o tempo. Já os danos causados por produtos químicos têm consequências de grandes proporções na vida humana e no meio ambiente.

O transporte de cargas perigosas precisa seguir regras específicas criadas para assegurar que não haja esses prejuízos. Entendê-las é essencial para que o transporte ocorra da melhor forma e longe de qualquer tipo de risco. Então, o que o caminhoneiro precisa saber? Alertas a esses cuidados, este conteúdo foi desenvolvido para você que vai transportar essa carga perigosa. O objetivo é fornecer informações completas sobre o assunto.

Crédito de Imagens: Freepik.es/Ksandrphoto

Cargas perigosas: O que é, e quais são elas

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), órgão responsável pela infraestrutura de transportes no país, determina que os produtos de natureza perigosa são todos aqueles de origem química, biológica ou radiológica que são nocivos ao meio ambiente, à população e aos seus bens. As regras em relação aos tipos de transporte de cargas perigosas foram alteradas por meio da Resolução 5.232/16, que expõe os produtos caracterizados como aqueles que produzem certos tipos de riscos:

  • líquidos inflamáveis;
  • produtos transportados a altas temperaturas;
  • explosivos;
  • gases;
  • sólidos inflamáveis;
  • substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos;
  • substâncias tóxicas e substâncias infectantes;
  • substâncias radioativas;
  • corrosivos

Os riscos com transportes de cargas perigosas. Quais são?

Quando realizado de forma adequada, o transporte de cargas perigosas representa riscos mínimos para a população e o meio ambiente. Porém, o modal rodoviário está sujeito a acidentes que podem danificar os recipientes e ocasionar o seu vazamento. O risco imediato é de explosões e incêndios que podem assumir grandes proporções se ocorrerem em uma rodovia movimentada. Caso a substância não seja inflamável, o perigo mais frequente é a intoxicação de pessoas, seja por meio de inalação, seja por ingestão ou absorção cutânea.

Esses materiais representam ameaças para o meio ambiente, contaminando o solo, plantações e corpos de água. Frequentemente, o tombamento de carretas é o motivo principal para a ocorrência desse tipo de acidente, com consequências graves para a fauna e a flora da região.

O motorista deve ter quais treinamentos para transportar cargas perigosas?

A legislação de trânsito é bastante rígida no que diz respeito à qualificação do motorista que trafega com substâncias químicas. Esse é um aspecto que deve ser considerado no momento de recrutar motoristas autônomos ou contratar uma transportadora para prestar o serviço.

Anteriormente, a certificação dos condutores chamava-se Movimentação de Produtos Perigosos (MOPP). Contudo, a nomenclatura mudou para Transporte de Produtos Perigosos (TPP). O curso é obrigatório e, geralmente, oferecido por instituições como o Serviço Social do Transporte (SEST) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) em suas unidades estaduais.

O treinamento cobre disciplinas como:

  • legislação, infrações e sinalização de trânsito;
  • legislação aplicada a produtos perigosos;
  • direção defensiva para veículos pesados;
  • movimentação de produtos perigosos;
  • prevenção e combate a incêndios

Qual o caminhão ideal para esse tipo de transporte

Os cuidados para transportar cargas perigosas, é claro, também se estendem ao caminhão. Ele deve estar em dia com suas revisões e manutenções, algo que será comprovado pelo já citado CIV. Nesse sentido, vale mencionar que o caminhão, assim como a embalagem, deve ser compatível com as características do produto transportado. Ou seja, cada tipo de produto perigoso demanda um modelo especifico de caminhão assim como do reboque utilizado.

Por exemplo, mercadorias perigosas em estado líquido devem ser transportadas em reboques para esse tipo de carga, respeitando-se o volume máximo, peso e variáveis da própria carga que afetam a condução do veículo, como é o caso de líquidos que podem se mover e desestabilizar o veículo.

Outro ponto importante sobre o caminhão é a sua etiquetagem. Existem regulamentações próprias que determinam que o veículo seja devidamente identificado como sendo destinado ao transporte de cargas perigosas, bem como trazer de forma clara a indicação do material transportado. Isso é feito por meio dos painéis de segurança afixados na parte externa do veículo, geralmente na traseira, que informam a classificação do item e seus respectivos riscos.

Seguro contra acidente ambiental para o transporte de cargas perigosas

Quando há um acidente com um caminhão, geralmente, pensamos nos danos físicos e materiais, já indesejáveis e tradicionalmente cobertos por apólices de seguro, inclusive, obrigatórias. Porém, dependendo do acidente e da carga, outro dano pode ocorrer. Trata-se do dano ambiental, algumas vezes com grandes prejuízos ao meio ambiente, a saúde das pessoas envolvidas ou de uma região e com grandes consequências financeiras e jurídicas, com multas e processos.

Até há pouco tempo nem existia apólice de seguro para este tipo de operação e a sua contratação ainda não é obrigatória. O Seguro Ambiental Transportes surgiu nos Estados Unidos e foi lançado no Brasil em 2011. Para muitos empresários este tipo apólice é extremamente recomendável, principalmente, por causa do atendimento emergencial garantido. No caso de um acidente com produtos químicos, por exemplo, a rapidez da limpeza da área afetada será determinante para minimizar os prejuízos e multas de órgãos do governo.

Vale a pena avaliar com sua seguradora. Pois como vimos, o transporte de cargas perigosas é uma ação extremamente técnica e que exige uma série de cuidados e procedimentos específicos. Conhecê-los certamente tornará o seu trabalho mais responsável e seguro, além de evitar problemas para a empresa em razão do descumprimento de alguma exigência legal. Se atenha aos cuidados e boa viagem!

Compartilhe este texto com seus amigos!