Olhar de cima da cabine e ver uma estrada sem fim é, sem dúvida, uma grande dádiva, mas não há apenas bons momentos na vida dos caminhoneiros. Os altos e baixos fazem parte do dia a dia de toda profissão e, para os motoristas, é importante reconhecer o valor de cada minuto e aproveitar os bons momentos, pois o planejamento de uma viagem e a preparação mental de cada indivíduo faz a diferença no final das contas.

A rotina

Dentre as inúmeras dificuldades da vida dos caminhoneiros, a rotina imprevisível e, às vezes, desumana é um dos pontos baixos da profissão. Não ter um horário certo para dormir e transitar por muitas horas seguidas, buscando, quando possível, um local seguro para estacionar e tirar algumas horas, embora nem sempre isso seja uma realidade, para descansar.

Onde estacionar

Como já dissemos, encontrar um pátio de estacionamento seguro não, dependendo da região em que se está, uma tarefa fácil e, por isso, é possível ver, às vezes, caminhões parados no acostamento das estradas, já que é o único local disponível para isso em quilômetros. Contudo, ainda que você consiga estacionar em algum local, não quer dizer que encontrará alguma facilidade, como um restaurante, um bom banheiro e um chuveiro quentinho.

Alimentação

Manter uma alimentação saudável dentro de um caminhão não é uma tarefa fácil, principalmente pela falta de refrigeração dos alimentos, o que pode ser resolvido com a instalação de uma geladeira veicular, e, também, pela dificuldade de preparar a própria refeição. Comprar produtos e cozinhar uma refeição balanceada é, portanto, um desafio, que, infelizmente, muitos motoristas perdem, já que comidas rápidas são muito mais tentadoras e o resultado é um sobrepeso, ou obesidade – em casos mais graves, dos motoristas.

Muito além dos baixos momentos da profissão

Se os altos e baixos da vida dos caminhoneiros é uma realidade, não é possível mencionar, aqui, apenas os aspectos negativos. Saber que há inúmeros momentos felizes e de realização pessoal é o primeiro passo para reconhecer o valor de cada profissional.

  • Rotina: Uma coisa incrível, embora seja difícil acreditar, é que a rotina, como mencionamos anteriormente, é, sim, um dos pontos baixos da profissão, mas, ao mesmo tempo, se caracteriza por ser um elemento de realização profissional de muitos caminhoneiros. Ter a liberdade de montar o próprio horário, obedecendo, é claro, ao frete contratado, é uma vantagem para muitos motoristas, que preferem organizar o próprio dia e, assim, terem tempo para outras atividades.
  • Relações sociais: Rodar o país e não ter um lugar fixo é, de alguma forma, o que permite a criação de uma relação amigável entre motoristas e os empregadores, que se veem dentro de uma cadeia produtiva. Embora haja um afastamento dos familiares, diminuído apenas com o uso das tecnologias e dos aplicativos de mensagem e conversa, uma nova “família” é, então, estabelecida no meio profissional, com os motoristas se ajudando em momentos de necessidade.

A realidade, portanto, é que os caminhoneiros precisam encarar diversos problemas, mas, ao mesmo tempo, encontram momentos de realização e felicidade, fato que se assemelha a todas as outras profissões. Para os motoristas, saber reconhecer, então, os altos e baixos da carreira é ter a possibilidade de se preparar e planejar adequadamente, vivendo um dia de cada vez e encontrando a felicidade profissional em cada pequeno momento.

Compartilhe este texto com seus amigos!